EXTINTÔMETRO
EXTINTÔMETRO

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) lançou no Facebook o EXTINTÔMETRO, aplicativo que convida os usuários a conhecer uma amostra representativa das 627 espécies brasileiras de animais em extinção ou ameaçadas de extinção. Essa é mais uma ferramenta da Campanha Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Selvagens, lançada, há mais de um ano, pelo CFMV em parceria com os 27 Conselhos Regionais (CRMVs). “Escolhemos a Semana de Proteção à Fauna para lançar o EXTINTÔMETRO, a fim de chamar a atenção para o problema e mobilizar a sociedade em busca de soluções", explica o presidente do CFMV, Dr. Benedito Fortes de Arruda.

ExtintômetroO aplicativo também disponibiliza informações sobre como denunciar o tráfico de animais selvagens e permite que as fotos dos animais sejam usadas como avatar nos perfis pessoais dos usuários do Facebook. “Com essa ação, queremos alertar a sociedade para o atual cenário de risco pelo qual passa a fauna brasileira e engajá-la na campanha”, afirma Arruda.  

O presidente do CFMV acredita que, “neste um ano de campanha, houve poucos ou nenhum avanço no combate a esse tipo de crime. Acreditamos que uma reação efetiva contra o tráfico exige pelo menos dois movimentos: os órgãos do governo responsáveis por fiscalizar e coibir o tráfico de animais precisam estar mais bem estruturados para impedir o esvaziamento de nossas florestas; e a sociedade deve se envolver no combate a esse crime, que vem provocando danos irreversíveis à biodiversidade”.

Publicado no final de setembro pela WWF (World Wildlife Fund - rede mundial que trabalha pela conservação da natureza), o Relatório Planeta Vivo 2014 reforça a preocupação do CFMV. De acordo com o levantamento, somente a América Latina assistiu, nos últimos 40 anos, à extinção de 83% de suas populações de peixes, aves, mamíferos, anfíbios e répteis.

Diante desse cenário, o CFMV e os CRMVs continuam ativos nos trabalhos de conscientização. Em eventos organizados em dez estados brasileiros, os Conselhos Regionais abordaram milhares de pessoas com atividades de conscientização em zoológicos, trilhas ecológicas, shoppings e calçadões a beira-mar. Houve distribuição de materiais e apresentações de peças de teatro educativas, palestras e esclarecimentos de dúvidas.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou cerca de 100 mil apreensões de animais selvagens traficados nas estradas brasileiras, no período entre 2006 e maio de 2014. Já a Rede Nacional de Combate do Tráfico de Animais Silvestres (RENCTAS) – organização não governamental (ONG) parceira do CFMV na campanha - afirma que, de dez animais retirados da natureza ilegalmente, apenas um sobrevive.

“As maiores vítimas do tráfico de animais são as aves, representando 82% do total. A rota do tráfico no País começa com os animais capturados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e escoados para as regiões Sul e Sudeste”, afirma o coordenador da RENCTAS, Rauff Lima.

Segundo a SOS Fauna, o Brasil é um dos principais alvos dos traficantes por conta de sua rica biodiversidade. Segundo essa ONG, cerca de 10% das quase 1,5 milhão de espécies catalogadas no planeta estão em solo brasileiros.

 

CFMV em: http://portal.cfmv.gov.br/portal/noticia/index/id/3995

 
 

topo